Notícias

você está em: home > Notícias

8 de Fevereiro de 2021 às 14:00

Sinergia-MS realiza ato contra demissões e desrespeito da Energisa na negociação do ACT

Os diretores do Sinergia-MS realizaram atos em três unidades da Energisa-MS, em Campo Grande, na manhã desta segunda-feira (8). A ação é uma forma de denunciar as retaliações da empresa durante a negociação do Acordo Coletivo de Trabalho 2020/2021.

O movimento foi realizado no Centro Operacional, na subestação do Almoxarifado e na agência comercial da Energisa, na Avenida Calógeras. Durante a ação, os dirigentes sindicais entregaram aos eletricitários um material com uma charge para manifestar a indignação e a revolta com a demissão de três trabalhadores do Plantão do Almoxarifado após ato coordenado pelo sindicato, no dia 28 de janeiro.

“Nosso sentimento é de revolta com a empresa. Estamos aqui hoje para mostrar que estamos preparados para a luta, não temos medo da empresa, e estamos motivados para fazer uma luta junto com os trabalhadores”, destaca o presidente do Sinergia-MS, Elvio Vargas, que já havia gravado um vídeo para denunciar as demissões.

O ato do dia 28 de janeiro foi realizado nas subestações Almoxarifado (CGA) e Cuiabá (CGB), no Centro Operacional da Energisa e nas cidades do interior, para denunciar o descaso da empresa, que insiste em apresentar propostas já recusadas pela categoria e que retiram direitos.

“O gerente disse para os trabalhadores demitidos que os valores deles não são os mesmos da empresa. Ou seja, tem que ficar de boca fechada porque se falar é demitido. Nós ficamos muito chateados com esta situação porque a gente sempre senta para conversar com a empresa, negociar, e a Energisa dificulta tudo, usa argumentos que não condizem com a realidade dos resultados da empresa”, afirma o diretor do sindicato, Breno Mourão.

 

Só nos primeiros nove meses de 2020, a concessionária de energia registrou lucro de R$ 245,1 milhões, o que representa aumento de 5,8% em relação ao mesmo período de 2019.

De acordo com o sindicato, outra medida de desrespeito da empresa foi antecipar a divulgação da proposta do ACT que será debatida na assembleia que será realizada hoje (8), às 19h. “É também uma ação para motivar os trabalhadores para a assembleia de hoje, que seria o momento em que nós falaríamos a proposta da empresa, só que a Energisa de forma intransigente e desrespeitosa já divulgou antes, sendo que era papel do sindicato”, critica Elvio Vargas.

 

Assembleia

A assembleia para deliberação sobre a proposta para o ACT 2020/2021 dos trabalhadores da Energisa será nesta segunda-feira (8), às 19h. Por conta da pandemia do coronavírus, a assembleia será realizada pelo aplicativo Zoom.

Para participar da assembleia e votar, os eletricitários deverão fazer a inscrição. Clique aqui para ter acesso ao link de inscrição.

A proposta da empresa prevê alteração na compensação do banco de horas do setor operacional, que passaria de 1X2 para 1X1, só que entraria em vigor no prazo de 6 meses.

“Não tem mais negociação segundo a própria empresa. Então, agora só movimento [greve] ou através da justiça. Acredito que se for para retirar direito sem luta, é a gente jogar a toalha antes de entrar no ringue, mas quem decide é a categoria. Na assembleia, nós vamos falar os prós e os contras, esclarecer, e a decisão está na mão do trabalhador”, explica Breno Mourão.

Se a proposta não for aprovada na assembleia de hoje à noite, o sindicato realizará, em outra convocação, uma votação de indicativo de greve.

Por: Assessoria de Comunicação Sinergia-MS

Galeria de Fotos



Copyright 2016 - Sinergia - MS- Todos Direitos Reservados

volta ao topo